Essência é o mote da Coleção Valentino Spring 2020

Postado em 06/11/2019

Texto por Beth Venzon

As semanas de moda desta última temporada Spring 2020 mostraram caminhos variados, próprios do atual momento contemporâneo. Ao mesmo tempo, todos expressaram seus conceitos, seus valores, sua essência, seus questionamentos frente a uma sociedade em rápida e constante transformação.

Entre as tantas reflexões e encantamentos dos inúmeros desfiles, destaco, mais uma vez, a contribuição de Pierpaolo Piccioli, diretor criativo da Maison Valentino. Conhecido pelo glamour e sofisticação quanto à cartela de cores e formas, surpreendeu a todos com uma série de looks brancos e acessórios dourados encantadores. Muitos lembraram da coleção que marcou a história da moda, em 1968, com o próprio Valentino Garavagni apresentando sua “Collezione in Bianco”, nos primeiros desfiles de moda italiana.

Aqui, eu diria que Pierpaolo elevou o algodão, como matéria-prima, de forma extraordinária e luxuosa. Em busca da essência, trouxe à cena um exercício de esculturas em tecidos, que mais pareciam mármores gregos em perfeita harmonia estética. Como disse H. Wölfflin: “tudo é desenhado de modo regular e distinto, cada linha parece ter consciência de sua beleza e, mais ainda, que ela deve pôr-se de acordo com as demais.” Ou seja, trata-se de harmonia e equilíbrio!

As peças, sempre criativas e sofisticadas, partiram de um conceito Couture para o Prêt-à-Porter. Dessa forma, as camisas foram transformadas. Ganharam novos comprimentos, volumes especiais, dobras precisas e cortes elegantes. Tudo isso, em um exercício perfeito de alfaiataria contemporânea. Todas com detalhes preciosos e iluminadas por jóias douradas e, nos pés, sandálias com tranças delicadas. “Queria trabalhar algo universal, retornando às origens da forma e do volume, por isso, trabalhei com a ideia da camisa branca, com a sensibilidade da Haute Couture”, afirma Piccioli.

Ele não foi o primeiro a retomar a camisa, peça clássica e consagrada como base, mas, com certeza, sua forma de apresentá-las com criatividade e sofisticação o fazem único. Consegue descomplicar e valorizar os mínimos detalhes. Meticuloso e genial, encanta com tamanha leveza e força com que desenha novas propostas e desejos, resgatando elementos essenciais.

Em todos os momentos da história, o resgate e o retorno à essência das formas nos remete aos momentos de reflexão, de realinhamento, de repensar valores na busca do simples, do natural, como ponto de partida para novos voos. Um reencontro consigo mesmo e com sua própria essência. Uma elegância da experimentação, através de formas descomplicadas, da valorização de materiais reconhecidos, promovendo desafios criativos e sentimentais.

Foto: Valentino Spring 2020.

Um romantismo no ar, uma poesia que nos envolve e remete a reflexões sobre a busca do conceito de equilíbrio. Conceito que os gregos deixaram como legado e que a moda revela em sua comunicação, cada vez mais forte. Talvez, um antídoto para a complexidade dos tempos contemporâneos. Talvez, a construção do novo passe pela busca e pela valorização da essência de cada um ou de cada marca.

Pierpaolo confirma seu desafio quando diz: “O meu trabalho como designer é o de promover a reflexão das ideias do tempo em que vivemos.”