Hibridização contemporânea no universo da moda

Postado em 30/08/2019

Texto por: Beth Venzon.

 Tenho observado as inúmeras transformações que a moda vem apresentando, ao longo desses últimos anos. Em sua diversidade, própria de estilos e informações, é importante atentar para as novas estéticas que estão sendo construídas. 

As inovações e as provocações fazem parte do universo criativo e nos convidam a observar outras formas de combinar elementos, formas e materiais. Podemos dizer que já estamos nos familiarizando com algumas dessas novidades, com outras, porém, ainda estamos procurando entender melhor. 

 A grande transformação da sociedade contemporânea reside na velocidade de suas mudanças e, principalmente, na ruptura de regras convencionais preestabelecidas, para um universo mais livre, em busca de uma nova organização do presente. 

O sociólogo Lipovetsky nos convida para essa reflexão ao afirmar que “quanto menos o futuro é previsível, mais ele precisa ser mutável, flexível, reativo, permanentemente pronto a mudar. Por isso, o que nos define é um desejo de perpétua renovação do eu e do presente.” 

Sendo contínua a busca pela renovação e construção de novas regras, torna-se cada vez mais natural o convite ao experimento criativo. Designers de moda têm mostrado novas direções estéticas em composições que mesclam materiais nunca antes pensados juntos. Com pesos, texturas e tecidos diferentes, que se mesclam, ou então criam pontes entre tradição e tecnologia como um novo e precioso diálogo. 

A liberdade de não seguir mais regras preestabelecidas estimula a criação, no seu sentido mais amplo, bem como convida o consumidor a buscar uma forma própria de expressão estética mais ampla e autoral na comunicação de suas ideias e lifestyles. 

Desfiles como os de Alessandro Michele, para a marca Gucci, são exemplos desse novo conceito “híbrido”. Sim, porque mescla, em um mesmo look, cores, padronagens, tecidos, sobreposições e decorativismos que construíram essa nova linguagem visual, além de um novo vocabulário da moda contemporânea. 

Não é pensada apenas a saia ou a jaqueta, o que nos interessa é quem está usando essas roupas. Tem-se outros focos de atenção, demonstrando, assim, cada vez mais a preocupação com as pessoas e sua relação com as roupas. 

Hoje, essas mudanças marcam forte presença no mundo da moda, com diferentes propostas, em uma ampla variedade de marcas. Destaque para Oliver Rousting, para a Balmain, e para Fendi em sua última coleção com Karl Lagerfeld e Alessandro Micheli, na Gucci, sendo o grande protagonista, entre tantas coleções e marcas. 

A hibridização, que vem ganhando espaço, pode ser estética, enquanto linguagem de moda, mas também de design, como vemos na Casa do Fauno, ambiente do arquiteto Léo Shehtman, na CASACOR São Paulo 2019.

Com proposta minimalista e sofisticada, Léo criou um móvel híbrido, executado pela Dell Anno, com um grande painel madeirado Gardet, que contrasta com a textura de Palha Black, que reveste o fundo dos nichos em Laca Noir acetinada. O diálogo entre moda, arquitetura e design se mostra cada vez mais intenso e precioso.

Esse conceito, mais do que mesclar materiais, envolve a integração mútua entre eles, em uma nova proposta instigante de unidade. Incentiva o rompimento de barreiras, como o mundo sem fronteiras em que vivemos. Deixa, portanto, um convite à personificação dos nossos universos pessoais e particulares, através da viabilização proporcionada pelos suportes tecnológicos e pelas redes sociais. Então, criatividade sempre!