Acessórios que transformam

Postado em 18/05/2022

Texto por: Beth Venzon

“Acessórios são manifestações de sensibilidade.”

                                                      Gianfranco Ferré

Expositor de bolsas Fendi

O encanto e a sedução dos ornamentos vêm de longa data. Na verdade, eles acompanham a história da humanidade. Em busca de códigos, amuletos, enfeites e identidade, os acessórios sempre tiveram espaço fundamental em conjunto ao vestir e adornar os corpos.

Joias egípcias, chapéus e sapatos em pontas na Idade Média, as golas renascentistas, os sapatos de salto para homens e mulheres no século XVII, as pequenas bolsas neoclássicas, enfim (…). Uma mini revisão histórica, para entendermos que acessórios são imprescindíveis e configuram a extensão do nosso eu.

Acessórios prolongam a narrativa das nossas escolhas, personalizam nosso estilo e fortalecem nossa comunicação. Renovam o outfit, transformam, valorizam, provocam e completam de forma única a linguagem estética visual de um conjunto de roupas. Os acessórios acompanham os ritmos e as mudanças de comportamento em cada momento da sociedade.

Acessórios Chanel expostos em vitrine

Todos os detalhes são fundamentais e todo o cuidado é primordial quando falamos em acrescentar o completar a concepção do que vestir. Tudo fala, tudo dialoga e todos os elementos compõe a imagem pessoal, fortalecendo quem se é e como desejamos ser vistos. Juntos, eles constroem linguagens e códigos que desenham estilos, sejam eles lançamento ou clássicos.

Entre todos os acessórios, observamos a força das bolsas ao longo da história e algumas se tornaram referência no vocabulário da moda. Alguns exemplos: Jackie 1961, da Gucci (reeditada agora), Kelly e Birkin da Hermès, Bagonghi, de Roberta Camerino, a icônica Chanel 2.55, de 1955, Lady Dior, de 1996, a Baguette Fendi de 1997, a Prada Galleria, lançada em 2007 (…). It-bags por excelência entre tantos modelos que se tornam objetos de desejo. E as micro bolsas de Jacquemus? Ou a bolsa coração da Gucci? E as tramas da Bottega Veneta cheias de formas e cores renovadas que se expandem até os calçados? Enfim, muitos exemplos que não são listáveis, mas que, com certeza, vocês lembram ao ler o texto.

Acessórios da Bottega Veneta expostos em loja

Quando o acessório é o calçado, o universo é mais extenso ainda! Evolução, desejo, mudança, heritage, experimentações, inovações (…). Dos materiais às cores, tudo se renova. Alguns calçados não apresentam mais saltos, mas sim, construções sublimes, pequenos pontos de apoio, com formas inusitadas e encantadoras, como visto no último desfile da Balmain. Mocassins e botas de saltos tratorados, plataformas como força e proteção com muita informação e cor, que convivem com saltos delicados em escarpins renovados. Sneakers são protagonistas destes últimos anos, com muita criatividade e originalidade, dando vida a muitos estilos, usados com brilho ou jeans. O stret style dialoga com a Couture em praticamente todos os espaços e os acessórios se tornam códigos fundamentais nessa junção.

Triangle Bags da Prada Milano expostas em vitrine

Vivemos a democratização intensa da moda, através da liberdade plena de escolhas e combinações. Somos autores de nossas escolhas, personalizando nosso jeito de ser em meio a tantas criações. E como diz Costanza Pascolato: “Os acessórios têm o poder de dar acabamento à imagem. É a sua assinatura de estilo”.

Os acessórios são detalhes que fazem toda a diferença em qualquer produção e eles são incríveis, mas precisam ser parte do que acreditamos e somos em nossa essência.

Imagens: Marília Santolin, João Maraschin e Bernardete Venzon

Assista à entrevista completa com Beth Venzon.